PC Pendrive


Certo dia um desenvolvedor de games do Reino Unido decidiu fazer um PC que fosse barato e tivesse configuração suficiente para rodar um sistema simples, para que assim ele pudesse ser distribuído em escolas que não podem cobrir os custos de um OLPC.

David Braben, o idealizador e desenvolvedor do projeto conta que o protótipo surgiu com o entendimento de que as escolas não oferecem o suporte tecnológico necessário para o melhor aprendizado das crianças. Segundo o desenvolvedor de jogos, ainda existem muitas instituições de ensino que não possuem computadores o suficiente para atender a demanda dos alunos.

 Foi dai então que surgiu o Raspberry Pi que vem com um processador ARM 11 com 700 MHz de clock, 128 MB de memória RAM, um slot para cartão de memória microSD, uma porta USB e uma HDMI, além de ter espaço para conectar uma câmera ou um módulo WiFi. Ele pode ter um hardware considerado antigo, mas por ter suporte a gráficos OpenGL 2.0, sua porta HDMI consegue exibir uma tela com até 1080p de resolução sem problemas.

Texto: Murilo Santos

Fonte: http://tecnologia.br.msn.com/produtos/artigo.aspx?cp-documentid=28668341

Anúncios

Tecnologia e o Lixo


Com o fim da Segunda Guerra Mundial os computadores passaram de artigos de laboratório e instrumentos caros disponíveis para grandes empresas a artigos de consumo de uso caseiro e em todas as atividades econômicas.

 Logo as redes de computadores evoluíram de conexões entre poucos computadores de grande porte e pequenas redes locais, à Internet, que é uma rede mundial. A capacidade da computação e a capacidade da comunicação vêm dobrando a intervalos curtos e fixos nos últimos 30 anos, caracterizando processos exponenciais.

As formas de apropriação e de criação de novas tecnologias ligadas á área de Informática parecem não ter mais fim, direta ou indiretamente a informática esta ligada hoje a todos os setores imagináveis pelo homem, desde a medicina com avanços significativos na área da cirurgia a pratica de esportes que busca na tecnologia formas de se estudar a superação do próprio atleta.

 Mas da mesma forma que a tecnologia cria e desenvolvem novos produtos ela descarta, aquilo que é considerado ultrapassado vai para o lixo, a situação ainda se agrava quando fundida ao discurso capitalista que impõe a lógica do consumismo onde em alguns meses um produto já pode ser considera fora de moda ou descartável.

Segundo dados da ONU, por ano, são produzidos até 50 milhões de toneladas desse tipo de dejeto no mundo inteiro o grande problema esta no destino final dado a estes dejetos, pois a maior parte dos aparelhos eletrônicos usa em sua fabricação metais tóxicos, como mercúrio, chumbo e cádmio. Quando um computador vai para a um aterro sanitário, essas substâncias reagem com as águas da chuva e contaminam os afluentes e o solo e por consequência seres humanos que utilizam da água ou do próprio solo que fica no entorno da região.

LIXO TECNOLÓGICO

 Não importa qual o tipo ou em que parte do mundo ele esteja, o lixo constitui em um grande problema social, ambiental e de saúde publica quando a má destinações deste lixo ocorre.

 Segundo cálculos consultoria IDC a vida útil de computadores um é de aproximadamente 4 anos nas empresas e 5 anos nas residências. Ainda segundo a IDC 21,5 unidades por minuto de computadores são vendidos no Brasil.

 De acordo com a IDC, até o final de 2010 o Brasil deverá ser o terceiro maior em vendas de computadores, atrás apenas de Estados Unidos e China.

 O que em quatro anos ou menos todo este lixo eletrônico pode estar estagnado em Empresas e Secretarias ou em lixões das cidades e é ai que o problema começa quando uma maquina que poderia ter outro destino dentro da metarecilagem, acaba em um espaço inadequado.

 Um computador ou monitor que esteja abandonado a céu aberto no meio ambiente pode trazer grandes males a saúde se o contato for prolongado ou indireto quando contamina lençóis freáticos e alimentos que normalmente passam desapercebidos por falta de conhecimento dentre os metais e outros componentes químicos que um computador pode despejar no meio ambiente estão:

Alumínio:

As plantas têm suas funções vitais afetadas e acabam morrendo quando, nos seres humanos se o contato for frequente a probabilidade de coerência de Mal de Alzheimer.

Arsênio:

Quando acumulado no fígado, rins, trato gastrointestinal, baço, pulmões, pode causar câncer de pele e dos pulmões, anormalidades cromossômicas e efeitos teratogênicos (deformação fetal)‏

Cádmio:

Quando acumulado rins, fígado, pulmões, pâncreas, testículos e coração nos rins causa intoxicação crônica, Descalcificação óssea, lesão renal, enfisema pulmonar efeitos teratogênicos e Câncer.

Bário:

Não se acumula efeito no coração, constrição dos vasos sanguíneos, elevação da pressão arterial e efeitos no sistema nervoso central (SNC).

Cobre:

Intoxicações como lesões no fígado.

Chumbo:

O mais tóxico dos elementos pois acumula-se nos ossos, cabelos, unhas, cérebro, fígado e rins em baixas concentrações causa dores de cabeça e anemia exerce ação tóxica na biossíntese do sangue, no sistema nervoso, no sistema renal e no fígado, constitui-se veneno cumulativo de intoxicações crônicas que provocam alterações gastrointestinais, neuromusculares, hematológicas podendo levar à morte.

Mercúrio:

O mercúrio é facilmente absorvido pelas vias respiratórias quando está sob a forma de vapor ou em poeira em suspensão e também é absorvido pela pele. A ingestão ocasional do mercúrio metálico na forma líquida não é considerada grave, porém quando inalado sob a forma de vapores aquecidos é muito perigoso. A precipitação proteínas (modifica as configurações das proteínas) é grave o suficiente para causar um colapso circulatório no paciente, levando a morte é altamente tóxico ao homem, sendo que doses de 3g a 30g são fatais, o efeito acumulativo provoca lesões cerebrais causadas pelo envenenamento no sistema nervoso central.

Cromo:

Quando armazena-se nos pulmões, pele, músculos e tecido adiposo pode provocar anemia, alterações hepáticas e renais, além de câncer do pulmão.

Níquel:

Carcinogênico, atua diretamente na mutação genética.

Zinco:

O efeito mais tóxico é sobre os peixes e algas.

Prata:

O efeito cumulativo 10g como Nitrato de Prata é letal ao homem.

O problema é que por mais que nós tentemos fazer a nossa parte encontramos dificuldades para destinar corretamente este lixo, uma vez que não se tem uma empresa  que faça a coleta ou o governo não providencia uma solução.

Uma Pequena Ajuda as Árvores ?


Quando nos perguntamos como é feito o papel, de imediato a resposta é que ele vem do desmatamento das árvores, mas o que realmente devemos saber é de que forma se dá este processo e quais os impactos causados por esta industria.

A matéria-prima básica para o processo de fabricação do papel é a madeira, de onde se extrai a celulose, mas para se extrair a celulose antes é necessário transformar a madeira em polpa, separando a lignina, a celulose e a hemicelulose que constituem a madeira, através de processo químico ou mecânico.

Segundo o IDEC – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor

Para produzir 1 tonelada de papel são necessárias 2 a 3 toneladas de madeira, uma grande quantidade de água (mais do que qualquer outra atividade industrial), e muita energia (está em quinto lugar na lista das que mais consomem energia). O uso de produtos químicos altamente tóxicos na separação e no branqueamento da celulose também representa um sério risco para a saúde humana e para o meio ambiente – comprometendo a qualidade da água, do solo e dos alimentos.

O alto consumo de papel e seus métodos de produção insustentáveis endossam o rol das atividades humanas mais nocivas ao planeta. O consumo mundial cresceu mais de seis vezes desde a metade do século XX, segundo dados do Worldwatch Institute, podendo chegar a mais de 300 kg per capita ao ano em alguns países. E na esteira do consumo, cresce também o volume de lixo, que é outro sério problema em todos os centros urbanos.

Para contornar a situação, algumas saídas têm sido apontadas, como a utilização de madeira de reflorestamento, para frear a derrubada nas poucas áreas remanescentes de matas nativas, a redução do emprego de cloro nos processos de fabricação e a reciclagem do papel. Porém, mesmo com essas medidas, e ao contrário do que as indústrias procuram estampar nos rótulos de seus produtos, ainda estamos muito longe de alcançar uma produção limpa e sustentável.

No Brasil, as árvores mais usadas para esse fim são o eucalipto e o pinho. E neste processo não se utiliza toda a árvore e nem se aproveita o que é descartado, são retirados os galhos, as folhas e a casca, que representa cerca de 10% da árvore e usa-se a parte interna do tronco.

Ainda assim para produção de uma tonelada de papel novo precisa de 50 a 60 eucaliptos, 100 mil litros de água e 5 mil KW/h de energia. Imagine isto multiplicado pelas inúmeras empresas de fabricação de papel espalhadas pelo mundo , dizem alguns especialistas que um dos principais motivos para a terceira guerra mundial sera pela escassez da água.

Os 5 mil KW/h de energia vem a ser consumido por uma única empresa na produção de 1 tonelada de papel e ainda assim os governantes tem a cara de pau de lhe pedir para racionar o seu consumo de energia que não chega nem a 0,2 % do consumo mensal de uma única empresa, você sabia que em maior usina hidrelétrica em potência 100% brasileira (8.370 MW), localizada a cerca de 400 km de Belém no estado do Pará, município de Tucuruí e capaz de mandar energia para toda região sul do brasil e para inúmeras empresas espalhadas pelo Brasil, mas não é capaz de proporcionar energia a muitas comunidades e pequenas cidades que ficam ao seu redor.

Não vou me prolongar nisto que daria um outro post, até por que estou me desviando do assunto o qual iniciei. Tudo isto foi dito para chegarmos ao Note-Slate, mas o que seria esse tal de Note- Slate, e o que ele tem haver com este Post.

Vivemos em uma sociedade hoje dita informatizada e pensando nisto com uma dose de preocupação ambiental foi criado o Note-Slate que promete ser um revolucionário dentro da sociedade em que vivemos, tudo porque ele pretende assumir o lugar do papel, como assim?

Veja só, ele imita uma folha de papel onde você pode escrever, desenha, rabiscar e fazer tudo como se estivesse fazendo em um papel de verdade, depois que você terminar basta salvar o arquivo.

Uma Pequena Ajuda as Arvores.

Texto: Murilo Santos

Imagen: http://www.pakalolo.com.br/blog/?cat=9

Fontes:http://www.cooperativismopopular.ufrj.br/noticias_int.php?idnoticia=1082

http://www.idec.org.br/rev_servicosambiente.asp

Quando Preservar e Quando Conservar ?


Dentro do contexto ambiental temos um pequeno embate quando o assunto é preservação e conservação do meio ambiente, não só por parte do meio acadêmico como por parte dos jornalistas, políticos e ambientalistas no geral.

Tudo isso porque é comum  confundirmos estas duas palavras, empregando-as com o mesmo sentido, quando na verdade elas expressam ideias diferentes, por isso muita atenção quando você diz que vai preservar o igarapé, olho d’água ou bosquinho da sua comunidade ou do bairro onde você vive, pois na verdade pode não ser essa a sua ideia.

A preservação visa fazer com que algo permaneça intacto e sem desgaste. Quando usamos este termo esperamos que algo tenha proteção integral e intocável é como se colocássemos algo dentro de uma redoma de vidro e a fechasse para admiração e observação. Na maioria dos casos a preservação se faz necessária quando há risco de perda de biodiversidade, seja de uma espécie, um ecossistema.

Já a conservação significa proteção dos recursos naturais, com a utilização racional, garantindo sua sustentabilidade e existência para as futuras gerações, podendo utilizar com prudência e sabedoria, e cuidando para que todos venham a desfrutar destes recursos .

Preservando ou conservado não podemos esquecer que nós somos também natureza.

 

 

 

 

 

 

Texto: Murilo Santos

Imagem: Uma parceria minha e de um amigo meu chamado Rosinaldo Pinheiro.

Para quem quiser conhecer mais trabalhos dele, é só visitar o link abaixo:

http://aturmadoacai.blogspot.com/

LOS TRÊS AMIGOS


Com a junção de idéias nasceu um ideal.

Para quem quer nos conhecer, ou fazer idéia de quem são os tês sonhadores por traz do projeto, ai vai uma imagem.

Meta-Reciclagem

Texto e Imagem: Murilo Santos